Suplente de Maria Simões, candidato João Picheck poderá assumir o mandato de vereador ainda nesta legislatura

O candidato a vereador João Paulo Picheck vive a expectativa de assumir como vereador neste final de legislatura, uma vez que é suplente da vereadora Maria Simões, que na noite desta quinta-feira, assumiu o cargo de prefeita interina de Cacoal, atendendo a uma decisão da Justiça de Rondônia. Filho de pioneiros, ele é natural de Cacoal, onde nasceu em 1983.

Casado com Gigliane Angelossi, pai de João Pedro, de 14 anos, e de Isabela, 7 anos, João Paulo Pichek  foi muito bem votado na eleição passada e, apesar de ter ficado como suplente, teria sido eleito para ocupar a 12ª vaga, caso o critério de preenchimento das vagas fosse o mais votado. Ele ficou em terceiro lugar em sua coligação, o que hoje o habilita para assumir o cargo de vereador, com o translado de Maria Simões para o cargo de prefeita, caso seja convocado pela presidência da Câmara.

Independentemente de sua assunção ao cargo de vereador para esses dias que restam para o fim do mandato, João Pichek está lutando para conquistar uma vaga, em definitivo, como vereador, já que é candidato pelo Partido Republicanos, que outrora tinha a sigla de PRB.

Como candidato, Pichek diz que o que tem a oferecer não são vãs promessas de campanha, mas um mandato baseado na ética e no compromisso com a sociedade. “Jamais mancharia a imagem construída por minha família ao longo de todos estes anos. Temos uma história em prol de Cacoal, como a doação do terreno ao Hospital do Câncer São Daniel Comboni e outras ações. Minha família sempre buscou retribuir à Cacoal, por todas as oportunidades que tivemos aqui”, ressalta.

O candidato diz que é grato por todo o apoio que recebeu na eleição passada, quando teve uma votação expressiva, e quer conquistar mais ainda o apoio da população. Diz que nos últimos quatro anos quatro procurou conhecer ainda mais as demandas da população e nesse período manteve contato com produtores rurais, feirantes, ambulantes, artesãos, empresários e com a população de um modo geral para que, sendo eleito, possa trabalhar projetos que não fiquem apenas no papel, mas que sejam aprovados e sancionados pelo Poder Executivo e atendam as expectativas da população.

A família de João Picheck veio para Cacoal quando a cidade ainda dava os primeiros passos, em 1974, foi bem acolhida e pôde retribuir ao participar do projeto de construção do Hospital São Daniel Comboni, além de outras ações em favor da comunidade.
“Se for chamado a ocupar desde já uma cadeira no Legislativo, vou me esforçar o máximo e acredito que será a oportunidade de um estágio para que eu conheça mais de perto como funciona a estrutura legislativa da Câmara Municipal, mas o meu objetivo primordial é poder contar com a adesão de muitos outros cacoalense, além daqueles que já me deram o seu voto de confiança em 2016, para que esse objetivo de servir à população seja consolidado. Não prometo ideias fantasiosas, mas um trabalho com responsabilidade, seriedade e respeito àqueles que tornarão possível a conquista de um mandato que será do povo e para o povo”, finalizou.