DER inicia reforma no aeroporto de Vilhena após Azul retirar voos por causa de problemas aeroportuários

Companhia aérea retirou seus voos em junho pedindo reforma de cerca. DER iniciou reparos na pista, mas aguarda liberação de Brasília para fazer nova cerca.
Por G1 RO

O aeroporto de Vilhena (RO), Brigadeiro Camarão, começou a ser reformado pelo Departamento de Estradas de Rodagem e Transportes do Estado de Rondônia (DER-RO). O trabalho está sendo feito pelo estado no intuito de conseguir retomar com os voos da empresa Azul Linhas Aéreas, que retirou seus aviões da cidade alegando problemas estruturais no local.

A primeira fase de reforma envolve a recuperação do pátio de estacionamento das aeronaves em Vilhena. Esse estacionamento receberá, nos próximos dias, várias camadas de revestimento asfáltico. Ao todo, serão 25 toneladas de massa asfáltica.

Segundo a prefeitura de Vilhena, os reparos no aeroporto iniciaram depois de uma reunião feita com várias autoridades e um compromisso firmado no dia 25 de junho.

Ainda de acordo com a Secretaria Municipal de Turismo, Indústria e Comércio (Semtic), o poder executivo está esperando uma autorização da Secretaria de Aviação Civil para iniciar a construção de uma nova cerca, que foi a principal exigência da Azul Linhas Aéreas.

“Estamos trabalhando com o DER para agilizar a licitação da cerca que envolve a pista, que é mais uma etapa a ser cumprida para que o nosso aeroporto possa voltar com as atividades”, afirma Marcondes Cerrutti.

Em junho, a Azul Linhas anunciou que interrompeu seus voos à cidade de Vilhena por causa da constante violação na cerca aeroportuária. Para a companhia, os problemas na cerca podem permitir a invasão de animais na pista, comprometendo assim a operação segura de pousos e decolagens.

Por causa da suspensão dos voos, o Ministério Público Federal (MPF) enviou ofício para várias entidades e à empresa Azul Linhas Aéreas para saber por que todos os voos foram retirados.

A manutenção da cidade é de responsabilidade do governo de Rondônia, através do DER, mas a reforma está sendo cobrada e acompanhada pela prefeitura de Vilhena.