Ministro afirma que todos receberão as cinco parcelas do auxílio de R$ 600 ‘com tranquilidade’

Governo fará reunião para definir calendário das duas parcelas adicionais
Direitos do Trabalhador
Por Natália Marinho

Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania, deu entrevista na última sexta-feira, 3 de julho, e falou sobre o auxílio emergencial de R$ 600. O benefício foi criado para dar suporte a trabalhadores informais, autônomos, desempregados e microempreendedores individuais (MEIs) durante a pandemia do novo coronavírus.

Inicialmente criado para ser pago em três parcelas de R$ 600, o governo já afirmou que o benefício tem mais duas parcelas de prorrogação garantidas. Em cada mês da prorrogação, será pago R$ 600. Ainda não foi confirmado se em cada mês será feito pagamento de R$ 600 ou, como o governo manifestou desejo, em R$ 500, R$ 100, R$ 300 e R$ 300, respectivamente.

O prazo para cadastros se encerrou na última quinta-feira, 2 de julho. Mesmo com milhões de cadastros ainda em análise, o ministro afirmou que todos os cadastros que forem aprovados receberão as cinco parcelas. “Nós tivemos problemas sim, em um programa dessa magnitude é normal, mas nós fomos superando as falhas. As cinco parcelas estão garantidas a todos aqueles que são elegíveis. Todos aqueles que estão dentro da lei, que têm direito, vão receber com segurança e tranquilidade”, disse ele durante a entrevista.

“Todas as pessoas vão receber as cinco parcelas naturalmente, sem nenhum problema. A garantia está na lei”, completou. O ministro relembrou ainda que, após os primeiros pagamentos, houve filas e aglomeração em agências da Caixa e, por isso, há espaçamento entre pagamento e dia em que o saque e transferência são permitidos.

Lorenzoni afirmou também que o governo fará uma nova reunião para definir o pagamento das duas parcelas da prorrogação do auxílio emergencial de R$ 600.