Amazônia e meio ambiente na reunião do Mercosul

Bolsonaro também quer que o Mercosul firme acordos comerciais com a União Europeia, como um acordo de livre comércio com o bloco europeu.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou, ontem (2), que o governo está buscando “desfazer opiniões distorcidas” sobre a sua atuação na Amazônia. Segundo o presidente, a imagem em relação aos indígenas também precisa ser melhorada. As declarações foram feitas durante uma reunião entre chefes de Estado do Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai).

“Nosso governo dará prosseguimento ao diálogo com diferentes interlocutores para desfazer opiniões distorcidas sobre o Brasil e expor a preservação, as ações que temos tomado em favor da proteção da floresta Amazônica e do bem-estar das populações indígenas”, disse Bolsonaro.

As falas do presidente são para minimizar as polêmicas envolvendo a gestão ambiental de seu governo, que é acusado pela oposição de facilitar o extrativismo na floresta amazônica, bem como reduzir, ainda mais, o espaço para os povos indígenas no país.

Bolsonaro também quer que o Mercosul firme acordos comerciais com a União Europeia, como um acordo de livre comércio com o bloco europeu. Para isso, os discuros de preservação da floresta e o “bem-estar” dos indígenas seriam estratégicos para alcançar tal objetivo.

O acordo de livre-comércio entre Mercoul e União Europeia foi concluído em 2019, depois de 20 anos de negociações. Para começar a vigorar, entretanto, o acordo precisa ser aprovado pelos parlamentos de todos os países envolvidos. (PORTAL IG)