Empreendedora de Porto Velho faz máscaras conforme orientações da OMS

Importante arma no combate a disseminação do novo coronavirus, a máscara caseira de pano precisa seguir as orientações da OMS – Organização Mundial de Saúde – para ter eficácia na luta contra a pandemia da covid 19.

O alerta foi feito pela empreendedora da costura Isiara Silva dos Santos, que comanda em Porto Velho o ateliê Zizi Modas, localizado na avenida Carlos Gomes, subesquina com José de Alencar, no centro da capital.

Segundo ela, a peça ideal deve ser confeccionada no mínimo com três camadas de tecidos. “A camada exterior deve ser feita de um material resistente à água, como o polipropileno, poliéster ou uma mistura deles”, explica a costureira.

Zizi acrescenta que a camada do meio deve agir como um filtro e pode ser feita de um material sintético, como o polipropileno, ou de uma camada extra de algodão. “A camada interior deve ser feita de um material que absorva a água, como o algodão”.

Embora tenha se destacado no mercado portovelhense pela inovação em lançar máscaras estilizadas, a modista orienta os clientes a utilizar o dispositivo de segurança com todas as medidas necessárias para proteger a saúde, e não meramente como um acessório da moda.

A observação dela tem embasamento cientifico. Um estudo realizado recentemente por pesquisadores norte – americanos comprovou a eficiência desse dispositivo de segurança, quando utilizado de forma correta. Cientistas constararam que essa estratégia de proteção evitou o aumento de casos da doença em vários países.

João Albuquerque –